terça-feira, 16 de agosto de 2016

O que ver e fazer em Londres # Willows Farm Village and Farm Park



O que ver em fazer em Londres numero #? Já me perdi na conta, mas agora em versão "summer in the city ou "London with Kids"...

Ora, Sir babyA já está na fase de querer interagir com os bichinhos e, para ele, tudo que não seja um pato, um galo ou um leão faz "miau miau"! Sim, é incrível o petiz consegue imitar o som do leão e de um galo, mas o de um cão ou de uma ovelha ainda não?!?! 
Assim sendo, usando a componente didática a mãe teve uma desculpa para ela própria ir visitar uma quinta repleta de bicheza e organizar um playdate! 

Curiosamente podemos muito facilmente encontrar pequenas quintinhas em pleno centro de Londres ou arredores, umas de entrada gratuita, outras mais em estilo parque temático como a que fomos visitar este fim de semana: a willows activity farm a cerca de 30 minutos de Londres. 
Inserido na quinta fica o Peter Rabbit Adventure Playground que, pelo que percebi, faz o maior sucesso entre os pequenitos!


Na lista ficaram estas duas para uma visita em breve: 




Apesar de Sir BabyA ter ficado claramente entusiasmado com a visita à Willows Farm o espaço e as actividades são mais apropriado para crianças mais velhas ou adultos como eu que adoram parques temáticos! Ainda assim valeu a visita e queremos (eu quero) voltar para o Pumpkin Festival





























quarta-feira, 10 de agosto de 2016

The 90's are back??

Será só impressão minha ou os 90's estão mesmo de volta?? 
Ou talvez esteja tão atrasada quanto a tudo que só agora dei conta....

A verdade é que, após uma pequena incursão ao shopping senti-me numa viagem pela minha adolescência, com umas pequenas nuances: já não sou mais teen (mas isso a minha mente nunca irá processar apesar de todos os dilemas existenciais da altura e dos quais muito me rio agora), empurro um carrinho de bebé e estou em Londres! 

Pelas montras das lojas londrinas as tendências são:  
  • Macacões de ganga; 
  • Mini-saias com botões de apertar à frente;
  • Colares juntos ao pescoço;
  • Top de alças por cima de T-shirts;
  • Top de alças acetinados;
  • Vestidos de alças com decotes quadrados;
  • Vestidos de flores;
  • Coletes compridos;
  • Calçado de plataforma;
  • Mom jeans (dos quais sou a légitima propriétaira desde o inicio do Verão);
  • Crop Top;
  • Cai-Cai;
  • Maquiagem metalizada; 
  • Inspiração gótica?;
  • Casaca de ganga; 
  • Mochilas, etc, etc, etc....


Sem grande esforço de memória consigo lembrar-me de meia dúzia de peças que ainda conservo no guarda-roupa em casa dos meus pais, acho que se for ao fundo do baú vou encontrar toda uma colecção de Verão! Portanto, 20 anos depois e já sem a minha cintura de vespa, vou revirar o roupeiro em Portugal para deleite da minha Maria que anda há anos a pedir para o fazer!
Bem dizia alguém: "na moda nada se inventa, tudo se reinventa"

No entretanto, The Verve, Savage Garden, No Doubt, The Offspring, The Cranberries, Oasis, Alanis Morrisette,  Smashing Pumpkins, Blue, Garbage e muitos outros já estão na minha playlist, isto quanto a música, porque quanto às séries volta e meia cá em casa somos quase uma RTP memória!!!

Quererá isto dizer que estamos a ficar velhas? Mas velhas, velhas? O "no meu tempo" já se aplica a nós?










terça-feira, 26 de julho de 2016

‪Gymboree‬ music class

Hoje foi dia de fazer barulho, mais que o habitual!


Dia dos Avós #2

Este é o segundo ano em que Sir Baby A. celebra o dia dos Avós e não poderia deixar de registar a data, até porque ele está em modo grafonola encravada: Vó! Vó!Vó!
Pego no iPhone e a reação imediata é: Vó!Vó!Vó!
Pego no Ipad e temos o disco de volta: Vó!Vó!Vó!
Pego no Mac e o realejo começa de novo: Vó!Vó!Vó!

Eu não tive uma relação próxima com os meus avós, talvez  por isso seja tao importante para mim que com o Afonso seja diferente!
E como se faz isso quando se está longe, perguntam?

FaceTime e Skype mais que uma vez ao dia!

Se funciona? Acredito que sim! Sir Baby A. reconhece todos os avós, não estranha nenhum e fica animado quando os vê! 
Mas também é verdade que com a minha Maria, a avó materna, a relação é especial, tão especial que diria que vem já carregada de história, não é de hoje, não é ontem, parece que sempre estiveram ligados! Tão bonito de se ver que quase fico com ciúmes!

Dizem que os avós são os pais que eles gostariam de ter sido, com mais tempo, com mais paciência, com mais sabedoria e genuinamente acredito que assim seja!

Tenho a certeza que Sir Baby A. tem os melhores avós do mundo e não poderia desejar mais que isso! Obrigada vovós queridos sei que o Afonso é nosso!

Foto passivel com uma criança em movimento












quarta-feira, 13 de julho de 2016

A alergia à proteina do leite de vaca #1 Como descobrimos!

"Sir BabyA turned ONE"!

Verdade, passou já um ano! Um ano que passou a voar! Um ano de MUITASSSSSSS, mas muitas alegrias, muito amor, um amor cada vez maior, muitos sorrisos e muitas gargalhadas, mas também de alguns stresses, nomeadamente com a questão da pele. 



Aos 6 meses foi-nos apresentada a alergia a proteína do leite de vaca (fancy name), mas não confundir com intolerância a lactose...




Comecemos pelo inicio,  por volta dos 3 meses Sir BabyA foi diagnósticado com aquilo que chamam pele atópica. Recomendação médica: hidratar, hidratar hidratar, e mais hidratação, roupas de algodão, poucos banhos e muito cuidado com o pó....



Depois de experimentar mil e uma marca de creme sem qualquer resultado, tentamos  o óleo de coco orgânico por causa das suas capacidades fúngicas, sem sucesso, a pele continuava inflamada e cada vez pior. Portanto, era altura de dar inicio ao tratamento com corticoide, algo que me destroçou a alma, mas teria que ser feito. Portanto, de um bebé com pele atópica passamos para um bebé diagnosticado com eczema. Perdoem-me a falta de rigor técnico, mas deixo isso para quem de direito, os médicos.



As semanas foram passando e decidimos conciliar a opinião do Pediatra com a de uma Dermatologista, também em Portugal. O discurso manteve-se exactamente o mesmo: hidratar, hidratar, poucos banhos, roupa de algodão e corticoide quando estivesse pior...



Se, é verdade, que com o uso do corticoide a pele do Sir BabyA melhorava muito, também  é verdade que, em menos de duas semanas, no máximo, teríamos aquilo a que apelidei como " a Vingança do Corticoide",  o eczema voltava e voltava muito pior.

No entretanto tínhamos um bebé de baixo peso, mas que comia imenso, um bebé com imensas dificuldades em dormir, sempre com cólicas e gazes, muitos cócós por dia, um bebé sempre desconfortável, mas ainda assim um bebé sempre sorridente! Explicações médicas: um bebé que nasceu pequeno, tem o seu próprio ritmo de crescimento, um bebé proporcional, não há outros factores que justifiquem qualquer outra avaliação. 


Desconfortável estava eu com a forma como a situação estava a ser avaliada em Portugal e decidi levar o Sir BabyA cá ao médico de família que de imediato sugeriu alergia à proteína do leite de vaca. Recomendou-nos uma médica, conhecida por ser especialista na matéria. Aproveitando o facto de termos cá seguro de saúde marquei de imediato uma consulta! Tempo de espera: 2 meses! 




Nota paralela, se em Portugal com o meu seguro posso marcar por iniciativa própria uma qualquer consulta com um qualquer especialista da rede ou não, cá no UK só com um referal do GP e uma prévia autorização da companhia de Seguros o posso fazer.

Mas, voltando ao cerne da questão, descrente lá fui eu consultar a especialista das especialistas que,  à boa maneira inglesa, fez questão de puxar galões sobre a taxa de sucesso dos seus tratamentos, das pessoas que a consultam vindas de toda a parte do mundo, das conferência dadas e bla bla....tretas e mais tretas pensei eu...

Com 90% do corpo coberto de eczema (portando quase todo o corpo menos a  cara), m noites sem dormir, a coçar-se todo o dia como um louco, era crença absoluta da médica que o Afonso só poderia ser alérgico a proteína do leite de vaca. Algo que prick test e as análises aos sangue deram negativo. Ainda assim a médica manteve a sua convicção num efeito retardado de alergia...
Eu, por meu lado, mantive-me completamente descrente... até porque segundo o que me haviam dito em portugal não é linear a associação directa entre o eczema e o leite em fórmula....

Com os exames descobrimos que Sir BabyA é alérgico ao ovo, quer cru quer cozido, o que me deixou ainda paranóica que o habitual.

Iniciamos os tratamentos com corticoide para limpar a pele, banhos diários e decidiu-se passar para um leite ainda mais hidrolisado, o Aptamil PEPTI, mas sem sucesso. 

Passamos então para o tratamento de choque:

1. Sir BabyA passaria a dormir com uns garments humedecidos em água e depois ensopados em creme. Para que tenham uma ideia como se processa:

Por mais que pareça desconfortável as noites passaram a ser muito melhores e a pele muito mais hidratada. Se o médico aconselhar eu, pessoalmente, recomendo esta técnica, altamente eficaz!




2.  Mudaríamos para o rolls royce dos leites hidrolizados: O Neocate!
O neocate é tão intragável que demorei mais de um mês a conseguir que o Afonso o aceitasse. Tive de o ir misturando com o outro leite até finalmente Sir BabyA deixar de o recusar. 
Pelo que percebi em Portugal este leite só é usado em contexto hospitalar. Mas quem souber mais sobre isso, por favor, não se acanhe e partilhe.
Porque o rolls royce dos leites? Porque custa 45 GBP cada lata de 400gramas!!



E é aqui surge a minha revolta, depois da introdução, em exclusivo, do neocate vimos, em menos de uma semana, melhorias drásticas! Basicamente passamos a ter outro bebé em casa!
A pele limpou, ainda que a área do pescoço continue a ser muito sensível, deixamos de fazer a wet wrap therapy, o uso do corticoide passou para um creme diluído 1/10 só em zonas muito especificas e, raramente, pois há obviamente outros factores que podem e fazem despontar o eczema, passamos a ter um bebé que finalmente dorme 10 horas seguidas, ganhou peso e subiu percentis. 

Portanto, em Portugal pediram-me: para ter paciência, para aspirar a casa, não ter tapetes no quarto, usar corticoide com regularidade e ter ainda mais paciência pois, com o tempo,  isto iria acabar por passar, mas o que nunca verifiquei foi uma genuína preocupação sobre a origem do problema.

Eu contínuo a acreditar que a formação dos nossos médicos é, sem qualquer dúvida, excelente e superior à maioria internacional, mas neste caso fico chocada e interrogo-me quantos bebés desesperados de comichão, aflitos de mau estar, exaustos sem dormir e de tanto chorar haverá por falta de informação e ou preocupação. 

Mas aqui também surge o meu peso na consciência, e a minha mea culpa mea culpa, se fosse hoje, nem que Sir BabyA tivesse perdido 15% do seu peso nas primeiras duas semanas, eu teria introduzido o leite de fórmula. 

A minha conclusão é: seguir os nossos instintos SEMPRE! Nunca nos conformarmos com algo, procurar sempre segundas opiniões, ler, investigar, persistir e nunca desistir!

De qualquer forma é só eczema... é chato, chateia, são muitas horas despendidas na hidratação, mas é só eczema!


Redemption: oat & banana organic pancakes

 

A tentar redirmir-me das caixas de Nestum que trouxe de Portugal!!!

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Primeiras havaianas de Sir babyA

Porque quem meu filho beija minha boca adoça já dizia o povo .... Primeiras havaianas de Sir BabyA!


My little man é um sortudo com tantos tios internacionais!


Obrigada Titi A. Adoramos 


Agora fiquei a pensar em férias no Brasil  (sonhar não paga imposto )